A Horta da Cidade, um projeto que merece ser replicado

Em plena capital mineira, entre casas e prédios do Santa Lúcia, um projeto embrionário começa a dar os seus primeiros passos. Idealizado por George, nosso jardineiro querido, conhecido por suas mudinhas sempre presentes na Feira Fresca, o espaço começa a tomar forma do sonho: fornecer hortifruti fresco, livre de agrotóxico, direto da terra e dentro da cidade. A Horta da Cidade fica num terreno com muito sol no alto da nossa Beagá. Subindo as ladeiras do bairro, na Rua Lua, 340, encontramos a entrada: uma portinha sempre aberta para quem quiser chegar.

Fomos recebidos pelo próprio George que, munido de botinas e chapéu de palha, nos apresentou o lugar.  Logo na entrada, do lado direito, sob a sombra de um sombrite sustentado por estacas de madeira decoradas com lindos chifres de veado está a loja da Fábrica de Hortas. Eles nos mostrou a grande diversidade de plantas, algumas inclusive pouco comuns, e bateu um papo com a gente sobre como tudo começou.

A Fábrica de Hortas surgiu em fevereiro de 2016 produzindo mudas no quintal de casa e oferecendo serviço de jardinagem. O desejo era democratizar as hortas urbanas e difundir o cultivo da própria alimentação, com o objetivo de trazer, além segurança alimentar, qualidade de vida e bem-estar, fazendo as pessoas estabelecerem uma conexão direta  com a natureza. Na época, George trabalhava como jardineiro e notou que muitos clientes tinham desejo de ter a própria horta, mas não tinham conhecimento e faltavam insumos.

O negócio cresceu, hoje as mudinhas são produzidas por sua família há 4 km de bh, em Esmeraldas, e trazidas por ele para serem escoadas em Belo Horizonte. No sítio eles trabalham as mudas de ervas aromáticas e medicinais, hortaliças, PANC’s, e de frutas (inclusive vimos lindas mudas de pitaya). Fazem o plantio dessas mais de 80 espécies em pequenas células até estarem fortes os suficiente para a comercialização. O cuidado aqui é muito grande para que as mudas consigam se desenvolver plenamente sem grandes perdas após sairem do berçário. Além das pequenas a Fábrica de Hortas também fornece vasos e terra adubada para quem quiser começar sua própria hortinha em casa.

O espaço também abriga o mais novo projeto, a Horta da Cidade. Andamos entre curvas de plantio, aprendemos sobre espécies e descobrimos as peculiaridades de produzir hortifruti num espaço restrito sem o uso de agrotóxicos, que George faz questão de enfatizar “estamos trabalhando dia e noite aliados com a natureza para conseguir o certificado de produção orgânica tanto para as mudas quanto para a horta”. Durante a manhã que passamos no terreno conseguimos perceber a aprovação da comunidade do entorno que se beneficiou com hortaliças fresquinhas, saborosas, cultivadas de forma natural para uma alimentação saudável. A conexão é feita imediatamente, e mesmo sem o certificado de produção orgânica a garantia vem. Com as portas abertas de segunda a sexta de 9 às 17 horas e  aos sábados de 9 às 12 horas, o cliente vira o próprio fiscal e confirma que nada mais além de água e muito amor é colocado no cultivo.

Hoje a horta cresce exponencialmente com cada vez mais novas espécies integrando o ecosistema. Atualmente, encontra-se por lá 4 tipos de alfaces, mostarda, rúcula, couve, agrião, cebolinha, salsinha, almeirão, ora pro nobis, taioba, tomilho, coentro, espinafre, rabanete, nirá, e manjericão basilico e roxo.  Quem entra pode escolher o que quer levar pra casa com um simples apontar de dedos. Colhidos na hora, o alimento retem mais vitaminas, minerais e um sabor inconfundível de coisa fresca! Além de poder escolher in loco as hortaliças o George vai levar muito dessa produção paras as feiras, então fique de olho na agenda delas!

Além de hortifruti colhidos diretamente da terra para o consumidor, o projeto também faz a coleta de resíduos orgânico nos bairros Santa Lúcia, Belvedere, São Bento e Vila da Serra.  Assinando o plano de coleta, recebe-se  dois baldinhos que são recolhidos toda segunda e quinta-feira pela Horta, neles devem ser separados os restos de alimentos indicados no rótulo, em retorno o assinante recebe mensalmente 10 itens disponíveis a sua escolha. A taxa é pequena, o retorno é imenso e o meio ambiente ainda agradece!

Foi ai que entendemos que os projetos são separados, inclusive com diferentes CNPJ’s, mas são inseparáveis, o mais velho depende do mais novo e vice versa para funcionarem a todo vapor. “É um ciclo: uso as mudas que sobraram das feiras para fazer o plantio da horta. Com a coleta de lixo orgânico, fazemos a compostagem que usamos tanto na horta quanto vendemos a terra adubada na Fábrica de Hortas.” O espaço também realiza oficinas e o pessoal além de aprender bota a mão na terra e contribui para a construção da horta.

O projeto é incrível e verdadeiramente animador, saímos de lá realizados sabendo que existe gente como o George que sonha com uma alimentação de qualidade, fresca e muito acessível. Foi uma delícia passarmos a manhã tomando sol, ouvindo passarinho, apreciando o verde e sentindo o cheirinho da terra molhada. Na nossa sacola muitas folhas para o resto da semana e o aprendizado que só uma experiência como essa pode gerar.  A coleta? Ainda não conseguimos assinar por causa da nossa região, mas o George disse para ficarmos de olho em terrenos possíveis perto da gente, que o desejo dele é replicar o modelo e encher toda a cidade de verde!

 

Vá conhecer você também!
A Horta da CidadeFábrica de Hortas
Rua Lua 340, Santa Lúcia
Funcionamento: segunda a sexta de 9h às 17h, sábado de 9h às 12h

Como economizar na Feira Fresca: retorne suas embalagens!

Embalagem Retornável na Feira Fresca

Já pensou economizar a cada nova compra na Feira Fresca? Existe uma forma bem simples para isso que alguns não conhecem ainda: devolver suas embalagens vazias! Simples e ecológico, né? Nossos expositores também não gostam de produzir lixo, mesmo que reciclável, e por isto dão descontos aos clientes que trazem de volta as embalagens de seus produtos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Então, não se esqueça, comprou na Feira Fresca? Guarde as embalagens e lembre de levá-las vazias em uma sacola na próxima Feira para ganhar descontos ao comprar novos produtos! Para saber se a marca para retornar sua embalagem estará em uma edição específica da Feira Fresca confira a descrição do evento no Facebook ou entre em contato que tiramos sua dúvida.

Iniciativas que aderem esta idéia:

Desejamos uma vida Fresca e sustentável para todos!

 

Pessoas, lugares, ideias: Capril Santa Cecília

Situado no município de Itaguara, entre as montanhas de Minas Gerais, está o Capril Santa Cecília. A Fazenda de Papagaios fica tímidamente localizada em uma saída de estrada de terra na BR onde se segue por curvas, mata burros e porteiras. Cenário perfeito para se ambientar e entrar no clima rural que é a cara do Capril. Eis que na estradinha surge uma pequena entrada para umas casinhas verdes e brancas, é inconfundível por que a porteira está sempre aberta para os visitantes.

Capril Santa Cecília Fazenda.jpg

Ao chegar, somos surpreendidos por um restaurante charmosamente rústico, com mesinhas na varanda e uma vista incrível da cadeia de morros da região. A receptividade é tipicamente mineira, feita com sorrisos largos. No restaurante se encontra um almoço de dar água na boca, com direito a carnes variadas e diversos acompanhamentos no estilo mesa farta de casa de vó. Escolhemos uma mesa, fizemos nosso pedido e fomos conhecer o capril.

Capril Santa Cecília Fazenda.jpg

Fomos guiados pela Marli, uma das proprietárias e gestora do empreendimento. Marli nos apresentou as cabrinhas, cada uma tem um nome mais fofo que o outro. Nos mostrou o berçário, onde as pequetitas ficam pulando de um lado ao outro. Ela também nos contou como tudo começou.

Marli era enfermeira e largou a profissão para investir no negócio familiar. Foi fazer a administração da fazenda dos pais e logo abriu uma queijaria com o pai e o irmão. Eles aprimoraram a produção e com isso o volume de vendas foi crescendo, nessa época chegaram as primeiras cabras, trazidas para a fazenda pelo irmão. Foi ai que começou a caprinocultura (criação de cabras) e a produção de derivados desse leite.

Hoje além de queijo de vaca a produção conta com ricota fresca de cabra, queijo de cabra padrão, queijo de cabra frescal, queijo tipo boursin, leite pasteurizado e alguns cosméticos como o creme de cabra para a pele, que a Feira Fresca experimentou e está apaixonada! Descobrimos nessa visita que os benefícios do queijo de cabra são infinitos e que pouca gente sabe, mas o leite de cabra tem maior digestibilidade e menor percentual de gordura. Além disso, é mais rico em cálcio do que o de vaca e possui menor potencial alergênico.

imgportal

freeimages-82

A Marli também nos contou que como nem tudo são flores, para entrar nesse mercado, ela sofreu preconceito de um meio extremamente machista, sofreu resistência dos consumidores que conheciam pouco sobre o leite, e encontrou dificuldade para conseguir se formalizar. Para expandir o seu negócio, o Capril precisava sair da informalidade e se cadastrar no Instituto Mineiro de Agropecuária ou o IMA, como muita gente conhece, mas o orgão não permitiu devido ao terreno da antiga fazenda ser muito acidentado, o que dificultava o acesso para entrada de matéria-prima e escoamento da produção. Foi ai, que em 2011, o capril mudou o endereço para o atual e hoje consegue participar inclusive de licitações! Agora Marli fornece leite e iogurte para merenda escolar além de ter ganhado espaço no mercado e vender para padarias, sacolões, restaurantes, mercearias e participar é claro de feiras como a Feira Fresca.

Screen-Shot-2014-09-18-at-11.46.47.png

Terminamos nossa tarde brindando ao sucesso do Capril com uma cerveja bem geladinha e um almoço delicioso com cordeiro num fim de tarde belíssimo na Fazenda Papagaios. Vá conhecer a Marli, sua família e as cabrinhas e passar uma tarde de muito aprendizado no Laticínios Santa Cecília. Lá as porteiras ficam sempre abertas e a mesa está sempre posta.

capril-santa-cecilia-fazenda

Pessoas, lugares, ideias: Cafeteria da Fazenda

Localizada numa das esquinas mais charmosas de beagá a Cafeteria da Fazenda se ergue como uma brisa no cotidiano apressado da capital. A sensação é de que o tempo parou e que podemos respirar fundo apreciando um bom café mineiro acompanhado de um dos melhores queijos da região.

cafeteria-da-fazenda-cafe-coado-com-queijo-meia-cura

Com a cara do interior, o espaço é um perfeito ponto de encontro entre almas velhas e almas novas para trocar aquele dedinho de prosa e colocar o papo em dia. Embalado pelo cheiro dos quitutes, em um cenário que evoca lembranças de um tempo onde as coisas eram mais simples, o jeito é se entregar, voltar à infância e dá lhe bolo de mixirica, uma das especialidades da casa!

Seja expresso ou coado, o café está sempre presente, nem que seja só no cheiro. O melhor é que dá pra levar pra casa um pouco desses grãos preciosos. A cafeteria além de servir café da manhã, lanche e almoço típico mineiro com direito a couve e torresminho, é um grande empório. Ivagner é o caixeiro viajante que roda minas em seus cantos mais escondidos para descobrir novas delícias e lembrar BH de suas raízes.

Cafés, queijos, cachaças, embutidos, são cuidadosamente garimpados para trazer o melhor da culinária mineira ao paladar. Lá se encontra de tudo um pouco e de muito sabor e história esse empório é construído. Em cada prateleira um mundo novo a ser explorado e contado pela boca de quem foi, viu e viveu.

Cafeteria da fazenda blend de café (2).jpg

Tire uma tarde para ir conhecer e provar todas essas iguarias. O empório da Cafeteria da Fazenda fica na esquina da Rua Montes Claros, 752 com Passa Tempo e está aberto de terça a domingo. Vá com calma e se preocupe em não levar relógio que é pro tempo passar sem pressa. Permita-se perder em pensamentos, em prateleiras, em estórias, contos e causos. Vá com curiosidade e conheça um pouquinho mais sobre os sabores de minas e sua produção de delícias.

prateleira